• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Sexta-feira, 03 de Abril de 2020

Gabriela Prioli terá programa no horário nobre da CNN Brasil
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > política > brasil

Política - Brasil

 

Terça-feira, 24 de Maio de 2016

Revista Sociedade Militar duvida de participação de comandantes militares no golpe

Da Redação

Dilma e o meio militar: falta esclarecer
Dilma e o meio militar: falta esclarecer
Uma das frases que mais chamaram a atenção no grampo que envolve Romero Jucá e o então presidente da Transpetro, Sérgio Machado, foi a que conversam sobre a garantia que comandantes militares teriam dado a destituição da presidenta Dilma Rousseff. De acordo com o diálogo, além da chancela militar, a ação teria revelado ainda que as Forças Armadas estaria monitorando o MST como forma de inibir uma reação no campo. De acordo com a Revista Sociedade Militar, destinada aos servidores das três forças, há poucas chances de que seja verdade.

A reportagem começa com a pergunta que todos querem ver respondida: "Quem são os chefes militares procurados por Jucá?" Em seguida a reportagem assinada por Edmilson Braga fala da repercussão no meio militar e civil e garante: os comandantes militares não irão se pronunciar.

Segundo o texto, há poucas chances de a conversa ter ocorrido: políticos gostam de afirmar ter contato com pessoas influentes para dar a elas o status de pessoas importantes - o que, sugere, seria o caso de Jucá.

Leia também:
Notícia de apoio militar ao golpe repercute no exterior


Mas em seguida a publicação faz uma observação que desmonta a incredulidade inicial. Jucá já recebeu condecorações de militares, em pelo menos três ocasiões, o que faria dele uma pessoa com contatos dentro das Forças Armadas.

O texto termina com as perguntas óbvias ainda não esclarecidas:

- Quem são os generais envolvidos, se é que ha mesmo? - Eles sabiam que a intenção oculta seria atrapalhar a lava jato? - Quando forneceram a informação a JUCÁ tinham conhecimento desse esquema para "estancar a sangria"?

Leia aqui a íntegra a reportagem:


Generais teriam participado do esquema para afastar DILMA ROUSSEFF. Quem são eles?

Obviamente o comando do Exército não vai se manifestar sobre o assunto. Contudo, no diálogo divulgado nesse final de semana ficou bem claro quando foi dito que "os generais, comandantes militares" garantiriam que o afastamento de DILMA ocorreria dentro da tranquilidade desejada. Movimentos sociais como MST e outros estariam monitorados, não se sabe se por agentes infiltrados ou por escutas telefônicas, ou os dois.

A menção aos militares foi feita quando Romero JUCÁ se referiu ao Supremo Tribunal Federal. O Ministro do STF, Marco Aurélio Mello é um dos membros da corte que mais alegava o risco de caos social caso o afastamento de DILMA realmente ocorresse.

Veja o trecho da conversa de Romero Juca com Sergio Mahado: JUCÁ - . Conversei ontem com alguns ministros do Supremo. Os caras dizem 'ó, só tem condições de sem ela [Dilma Rousseff]. Enquanto ela estiver ali, a imprensa, os caras querem tirar ela, essa porra não vai parar nunca'. Entendeu? Então.. Estou conversando com os generais, comandantes militares. Está tudo tranquilo, os caras dizem que vão garantir. Estão monitorando o MST, não sei o quê, para não perturbar.

Políticos conversando dizem o que querem. Contam vantagem e se gabam de manter contatos com pessoas influentes, entre estes os comandantes militares. Leve-se aqui em consideração que Romero Jucá foi condecorado três vezes pelos militares, recebeu duas condecorações na Ordem do Mérito Militar e uma no Mérito Aeronáutico. Por isso tudo certamente tem acesso aos comandantes, que responderiam a seus questionamentos de forma educada.

Pelo quilate dos políticos que possuímos, tudo indica que Romero JUCÁ simplesmente tenha perguntado a um oficial general sobre as consequências do afastamento de DILMA no que diz respeito aos "exércitos" de Lula, e que o mesmo tenha respondido o obvio, que movimentos sociais não tem condições de atirar o país no caos.

Ficam algumas perguntas importantes:

- Quem são os generais envolvidos, se é que ha mesmo? - Eles sabiam que a intenção oculta seria atrapalhar a lava jato? - Quando forneceram a informação a JUCÁ tinham conhecimento desse esquema para "estancar a sangria"?

É difícil acreditar que o Comandante do Exército, amigo de ALDO RABELO, estivesse envolvido em suposto esquema para afastar DILMA ROUSSEFF dentro desse "pacto para estancar a sangria".

Revista Sociedade Militar - clique aqui

NdaR - Conexão Jornalismo encaminhou pedido de entrevista a Assessoria de Imprensa do Ministério da Defesa e ainda não obteve resposta.

 

Veja também:

>> TV Brasil vive seu "golpe particular" e demite Tereza Cruvinel

>> fotografia de Serrado e Jucá viraliza na rede

>> Repórteres do Jornal O Dia fazem paralisação contra atrasos salariais

>> Ladrão é reconhecido por vítima após sugestão de amizade do Facebook

>> Delegado absolvido por estupro da neta. Juiz não viu reação na vítima

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Revista Sociedade Militar duvida de participação de comandantes militares no golpe
 

Copyright 2020 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!