• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Segunda-feira, 17 de Junho de 2019

Paulo Betti é processado por racismo em clima de disputa sindical
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Terça-feira, 18 de Junho de 2019

Condenado a indenizar padres, Ratinho foi só sorrisos ao receber Sérgio Moro

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > polícia > segurança pública

Polícia - Segurança Pública

 

Quinta-feira, 11 de Abril de 2019

Mãe e bebê de três meses são expulsas de restaurante debaixo de temporal, no Rio

Foto reprodução do Instagram
Foto reprodução do Instagram

Outro dia postamos no Facebook de Conexão Jornalismo: a tal da empatia com o que está em situação precária só ocorre, geralmente, após o anúncio da tragédia. Falávamos sobre o grupo de 30 crianças que foram removidas de um cinema durante as chuvas da semana. Feita a denúncia, os responsáveis pelo cinema se desculparam publicamente. Mas o caso não foi o único: uma mãe foi expulsa de um restaurante, o Empório Jardim, onde estava com a filha de três meses, debaixo do temporal, porque os funcionários queriam fechar as portas e escapar o mais cedo possível. Após a repercussão nas redes sociais, as donas do estabelecimento também se desculparam.



A vítima foi a psicóloga Flavia Lopes Pinheiro, 32 anos. Ela estava com sua filha de três meses, quando se viram expulsas de um restaurante no Jardim Botânico. Flavia compartilhou o episódio pelas redes sociais e contou que apesar de estar "sem acreditar na falta de solidariedade de alguns", diante a situação de risco, a situação acabou tendo um final cheio de sororidade. Foi graças a um grupo de mães no WhatsApp, o Sementeira, que ela e a filha conseguiram um abrigo.

As duas estavam no restaurante quando a forte chuva começou, mas de acordo com o relato feito ao UOL, os funcionários começaram a pressionar para fechar a conta, pois o restaurante iria fechar uma hora antes do horário regular de funcionamento.

Naquela noite, o bairro registrou 334,4 mm de chuva - a segunda região com maior índice na cidade, segundo dados do Alerta Rio, do Centro de Operação da Prefeitura do Rio de Janeiro. Até esta quinta-feira (11), dez pessoas morreram vítimas do temporal.

No grupo de WhatsApp, ela contou o que estava acontecendo e a situação gerou uma corrente de ajuda. A blogueira Manoela César entrou em contato com a estilista Carol Hungria, que tem um ateliê próximo ao restaurante, e enviou uma assistente para resgatar as duas. Elas voltaram para a casa depois que o marido de Flávia conseguiu buscar mãe e filha, por volta das 3 horas.

Em entrevista ao UOL, Flávia afirmou ter se sentido desamparada. "(Foi) uma situação muito desagradável, a gente não tinha acolhida em um momento bem horrível que estava o Rio de Janeiro, de um temporal", disse.

No Instagram, o grupo Sementeira lançou uma campanha: "Ninguém solta a mãe de ninguém". A corrente de solidariedade vai tentar alertar sobre situações que mães, pais e familiares sofrem com bebês e crianças em estabelecimentos comerciais.

Após as críticas que estabelecimento recebeu, as proprietárias do restaurante pediram desculpas. "Estamos muito tristes, pois minha equipe falhou - e portanto, eu e minhas sócias também falhamos em acolher uma cliente, mãe e sua bebê, durante a chuva que acometeu nossa cidade", publicaram na página oficial do estabelecimento nas redes sociais.

"Eu estou em contato com as donas e o nosso grupo de Sementeiras para pensar em estratégias, para estabelecimentos terem mais empatia e solidariedade de mães com bebês, não só em dias de temporal, mas no dia a dia, porque a gente se sente invisível", explicou ela .

Uma das sócias do restaurante se manifestou:

Boa tarde a todos, meu nome é Branca e sou uma das sócias do Empório Jardim, falo em nome também das minhas duas sócias, Paula e Iona.
.
Estamos muito tristes, pois minha equipe falhou - e portanto, eu e minhas sócias também falhamos em acolher uma cliente, mãe e sua bebê, durante a chuva que acometeu nossa cidade.
.
Essa mãe se chama Flávia e soubemos hoje, lendo os posts das redes sociais. Desde cedo estou tentando entrar em contato para entender melhor, poder agir - e acima de tudo, me desculpar pessoalmente.

O que entendemos: a equipe avisou aos clientes que a casa fecharia e que não ofereceram a opção de que continuassem lá dentro pelo tempo que precisassem. Esta seria a nossa atitude e o nosso direcionamento.
.
Flavia, não consegui ainda falar com você e saiba que jamais, em momento algum, estou questionando o que aconteceu. Estou realmente te pedindo desculpas: minha equipe errou - só para começar, em não perceber que você precisava de ajuda. Foram insensíveis ao dizer que a casa fecharia sem perguntar se você teria como sair. Se eles erraram com você, errei eu, por não ter conseguido transmitir a eles o cuidado que temos com nossos clientes. Estamos aliviadas em saber que a você e seu bebê passam bem, agradecemos a todos que a ajudaram quando nós falhamos.

Eu estava até de madrugada falando com os funcionários, preocupada que ninguém saísse de lá para se expor ao perigo desnecessariamente. Somos três sócias, mulheres e criamos o restaurante para ser um local de acolhimento. Temos lindas histórias de amizades e homenagens a clientes que viraram amigas - muitas delas, mães.

Sentimos muito, muito mesmo por um descuido, uma falta de comunicação, ter causado um problema imenso para você, Flavia. Vamos fazer de tudo para aprender com isso e nunca mais permitir um erro destes, mesmo não tendo sido intencional (vários dos funcionários têm filhos pequenos, se tivessem realmente percebido, não acredito que não seriam solidários. Não são pessoas más, foram desatentos.). Estamos conversando com todos, para que nunca, nunca mais aconteça algo nem próximo.

Obrigada a todos os que tem compreendido e manifestado carinho,

Branca, Paula e Iona

 

Veja também:

>> Danilo Gentili é condenado por injúria contra Maria do Rosário

>> O infortúnio da família de Lula é a desgraça de um país à deriva

>> Tenente do Exército deu início aos 80 tiros que mataram músico no Rio

>> Assange é entregue de bandeja por governo servil do Equador

>> Moro chama assassinato do Exército de "incidente"

>> Em artigo, Requião afirma: "Lula é culpado"

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Mãe e bebê de três meses são expulsas de restaurante debaixo de temporal, no Rio
 

Copyright 2019 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!