• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Quinta-feira, 10 de Outubro de 2019

Guga Chacra "esculacha" Eduardo Bolsonaro

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > polícia > desaparecido

Polícia - Desaparecido

 

Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

Turista espanhola é assassinada pela PM no Rio na favela da Rocinha

A turista espanhola que estava no carro
A turista espanhola que estava no carro
Então o carro em que estava a turista espanhola, de 67 anos, fura o bloqueio da PM na Rocinha. A partir daí atira-se para matar. É isso? O comandante da PM deveria ser sumariamente demitido. Se esta justificativa é oficial ele precisa não se reciclagem, mas de cadeia. Atirar para matar por qual razão? Não é admissível que não se veja um bloqueio? Se o sujeito não conhece, não percebe e não vê precisa morrer? O pior dos crimes é o oficial. Especialmente quando é tolerado por quem assiste e comanda. A pergunta é: qual a diferença entre este caso e o do turista que entra por engano em favela e é assassinado por traficantes? Absolutamente nenhuma. Ambos agem sem comando. Ou por comando incompetente. No caso do bandido, guiado pelo próprio juízo.

Maria Esperanza Ruiz Jimenes, de 67 anos, morreu após ser baleada na Rocinha, nesta segunda-feira (23). A Polícia Militar disse que o carro em que ela estava furou um bloqueio e, por isso, foram feitos disparos. Em nota, a Polícia Militar afirmou que o carro em que a turista estava rompeu um bloqueio policial no Largo do Boiadeiro e reagiu, e atirou contra o veículo. A corporação disse ainda que só constatou se tratar de uma turista quando abordou o veículo (ou seja: se soubesse não atiraria? Se sentiria mais segura em atirar se soubesse que se tratava de cidadão brasileiro? Qual a lógica?). A Corregedoria da Polícia Militar afirma que está apurando o caso.

A marca do tiro na lataria do automóvel
A marca do tiro na lataria do automóvel  



Maria Esperanza chegou a ser socorrida, mas morreu ao dar entrada no Hospital Miguel Couto, na Gávea, também na Zona Sul. Ela estava em um carro de turismo, acompanhada do cunhado e do irmão.

Um dos PMs foi ferido na cabeça de raspão e outro no tórax. Ninguém admite, mas talvez esta tenha sido a razão da voracidade com que a polícia atuou no caso do carro que furou o bloqueio.

Outro homem foi baleado e foi encontrado por agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade. Ele foi reconhecido por agentes do Batalhão de Choque como um dos envolvidos na troca de tiros.

 

Veja também:

>> Pai de Bruna Marquezine não cometeu suicídio - vídeo

>> Ação Contra a Fome está de volta após um ano do golpe

>> Voto religioso alcança 20 milhões, segundo pesquisa

>> O asfalto que cede e a cumplicidade oficial

>> Redemocratização do Brasil passa pelo fim do oligopólio da mídia

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Turista espanhola é assassinada pela PM no Rio na favela da Rocinha
 

Copyright 2019 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!