• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Você é um abolicionista moderno ou escravagista?
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Domingo, 10 de Dezembro de 2017

Morre aos 98 anos a atriz Eva Todor

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > gastronomia > bares

Gastronomia - Bares

 

Quarta-feira, 08 de Março de 2017

Aos 40 anos, bar Petisco da Vila fecha as portas no Rio

Por Fábio lau

Manjubinha frita: a delícia na simplicidade
Manjubinha frita: a delícia na simplicidade

Soube hoje do fechamento do Petisco da Vila. 40 anos de história que desaparecem assim... estalar de dedos. O dono, Manuel, fechou e dizem que ali vai subir um arranha-céu (há 40 anos assim eram chamados grandes edifícios). Mas fica aqui o protesto e a solidariedade para com os boêmios do Rio. Petisco da Vila não era do Manuel, Noel, Barão de Drumond ou Martinho da Vila. É patrimônio da cidade. O prefeito deveria agir e garantir sua sobrevivência - embora desconfie que não saiba o que é um chope bem tirado, com dois dedos de colarinho e a delícia que é ver as bolachas das tulipas subirem à sua frente. Tombar para jamais cair, jamais inexistir. Eis o apelo que faço. A imagem do Petisco da Vila, na memória afetiva, é esse tira-gosto aqui: manjubinha. A delícia que reside na simplicidade.



A relação com o Petisco da Vila me remete a 82 quando o Rio voltaria a eleger governadores. Era ali um dos pontos de encontro dos que votavam em Brizola após as longas e incansáveis campanhas de rua. Enquanto no Centro a base ficou sendo o Amarelinho, onde ao lado surgiu a Brizolândia, a Vila de Noel montou também seu posto avançado. E deu Brizola na cabeça.

Petisco da Vila: patrimônio da boemia
Petisco da Vila: patrimônio da boemia  


















Em 86, campanha de Darcy, idem. Lembro de um dia em que vi o então candidato a deputado constituinte Roberto D'Avilla tomando um chope no balcão. Ele conversava com um senhor e tomava sossegadamente um chopinho. Me aproximei e, na cara de pau, pedi seu boton - que tinha a silhueta e o nome de Darcy.

Educadamente ele negou. Disse que só tinha aquele. Mas permaneci ali e emendei a conversa sobre a campanha, as chances de dele, de Darcy e do partido fazer uma boa bancada. A conversa engrenou. Quando senti que ele já nutria alguma simpatia pelo jovem falastrão, mandei de pronto como se nada tivesse dito antes:

- Você pode dar este boton pra mim?

Ele riu, seu interlocutor ao lado também, e, calmamente tirou o boton e me deu.

O Petisco da Vila tem histórias....

NdaR - A crise econômica teria sido a razão do fechamento. A gente deve então um brinde aos que nos colocaram nesta situação ao ir às ruas pedindo um golpe político. De lá para cá nem a boemia conseguiu permanecer de pé.

 

Veja também:

>> ônibus passa sobre motoqueiro que é salvo por ... "milagre" - vídeo

>> Cobrador de falta: uma espécie em extinção no futebol brasileiro - vídeos

>> Habib's: seguranças não são os únicos suspeitos, mas a lerdeza da polícia também

>> Estuprador no Brasil já foi condenado a castração, revela recorte de jornal

>> Assessor de imprensa do governo Alckmin debocha da morte de João Victor no Habib's

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Aos 40 anos, bar Petisco da Vila fecha as portas no Rio
 

Copyright 2017 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!