• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Terça-feira, 25 de Junho de 2019

Silêncio? Record afasta Paulo Henrique Amorim após 14 anos

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > estética > plus size

Estética - Plus Size

 

Terça-feira, 11 de Novembro de 2014

Mesmo com seca no Sudeste, IBGE prevê recorde na safra de 2015

G1

Boa nova no setor agrícola, apesar da seca em vários estados.
Boa nova no setor agrícola, apesar da seca em vários estados.
Apesar da seca na região Sudeste, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) prevê uma safra recorde de cereais, leguminosas e oleaginosas. O aumento em relação a 2014 será de 2,5%, segundo a estimativa divulgada nesta terça-feira (11).

De acordo com o primeiro prognóstico para o próximo ano, o volume foi estimado em 198,3 milhões de toneladas.

"Para 2015, nesse prognóstico, 61,9% é prognóstico - são informações vinda do campo. Já tem soja sendo plantada, arroz para ser colhido ano que vem. E 38% é projeção, é baseado em média dos últimos anos. Então, para esse cálculo, a gente usou os últimos cinco anos. Não são só em função de clima, mas o mercado é outro determinante. A recuperação do preço estimula novos plantios. Quanto mais caro o produto, incentiva o produtor a produzir. Para 2015, a gente já começa prognóstico de uma safra recorde, maior do que 2014", disse Mauro Andre Andreazzi, gerente da Coordenação de Agropecuária do IBGE.

Entre os seis produtos de maior importância, analisados para a próxima safra de verão, segundo o IBGE, cinco apresentam variações positivas na produção: feijão 1ª safra (11,0%), amendoim (em casca) 1ª safra (10,7%), soja (9,0%), arroz (em casca) 1,4% e o milho 1ª safra (0,3%). O algodão herbáceo registrou variação negativa na produção, de 8%.

"A seca ocorreu agora. Sul está normal, Centro-Oeste está normal. Sudeste já devia começar a chover, Sudeste que está atrasado com a chuva, mas os grandes centros produtores de grãos, estão normais. Nordeste começa [a chover] mais tarde, em janeiro".

2015 deverá ter uma safra 2,5 maior que a de 2014.
2015 deverá ter uma safra 2,5 maior que a de 2014.  
Segundo o gerente do IBGE, a região Centro-Oeste tem se tornado, a cada ano, a maior produtora de grãos. "E ela é grande produtora de gado, que tem sido alimentado em áreas menores, e os grandes pastos estão dando lugar para grandes plantações. Quem tem puxado esse recorde é a região Centro-Oeste."

Já a previsão de outubro da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas em 2014 totalizou 193,5 milhões de toneladas, valor 2,8% superior à obtida em 2013 (188,2 milhões de toneladas), e maior 16.050 toneladas na comparação com o levantamento de setembro de 2014.

De acordo o gerente, desde 2012 (quando ocorreu forte estiagem no Sul e Sudeste), a região Centro-Oeste tem puxado a produção de grãos.

"Café, laranja e grãos (cana-de-açúcar), esses produtos que são produzidos na região Sudeste foram muito prejudicados pela estiagem esse ano. Os principais produtores de cana-de-açúcar são São Paulo e Minas. O que cai é o rendimento dela. Em vez de tirar 80 toneladas, está tirando 70 toneladas por hectare", explicou Mauro Andre Andreazzi.

Os três principais produtos desse grupo são arroz, milho e soja. Somados, representaram 91,4% da estimativa da produção e responderam por 85,0% da área a ser colhida.

Entre as grandes regiões, o volume da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição:

Centro-Oeste, 82,1 milhões de toneladas; Região Sul, 72,3 milhões de toneladas; Sudeste, 17,8 milhões de toneladas; Nordeste, 15,8 milhões de toneladas e Norte, 5,5 milhões de toneladas.

Na estimativa de outubro em relação a setembro, tiveram destaques as produções de café canephora (4,0%), sorgo (3,2%), algodão herbáceo (1,8%), café arábica (-0,5%), feijão 3ª safra (-2,4%), feijão 1ª safra (-2,6%), feijão 2ª safra (-4,5%), trigo (-5,2%) e cana-de-açúcar (-7,1%).

 

Veja também:

>> O 'odiojornalismo' não pode ser patrocinado pelo dinheiro público

>> Fortuna de super-ricos é 'incontrolável', diz sociólogo

>> Juiz que deu carteirada na Lei Seca é criticado por OAB e STF

>> Suspeita de suicídios: agricultores lesados por golpe no Pronaf relatam tragédias familiares

>> Carcereiro da Casa da Morte é detido pela PF e identificado

>> Obama participa de plantio de árvores na China

>> Comandante de balsa que afundou na Coreia do Sul pega 36 anos de prisão

>> Tribos sunitas do Iraque se dividem entre Estado Islâmico e governo central

>> Justiça mantém julgamento de policiais que mataram brasileiro na Austrália

>> Traficante envolvido em tortura a jovem em favela do Rio é preso na Bolívia

>> Oposição tem de atuar com ideias, sem ódio, avalia Renato Janine Ribeiro

>> A estratégia de emparedar Dilma: como colocar a crise nas costas dos mais fracos

>> Ministra Marta Suplicy protocolou carta de demissão

>> Joseph Safra compra cartão postal de Londres

>> Com método cubano de educação, Unesco declara Bolívia um país livre do analfabetismo

>> Homossexualidade: Papa defende releitura do evangelho e unidade na diversidade, diz Frei Betto

>> Sindicato dos Jornalistas do Rio divulga nota pública sobre agressões sofridas por repórter do G1 no Alemão

>> Roberto Carlos processa Friboi após quebra de contrato milionário

>> Eduardo Cunha: "Se presidir Câmara, engaveto regulação da mídia"

>> Poluição leva à perda de quase 50% da água do sistema Guandu, que abastece o Rio de Janeiro

>> Você já pode assistir aqui em Conexão ao documentário "Guerra Não!"

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Mesmo com seca no Sudeste, IBGE prevê recorde na safra de 2015
 

Copyright 2019 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!