• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Terça-feira, 22 de Setembro de 2020

Mignonnes: corra e assista no Netflix antes que Damares censure
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020

"Remédio Amargo": filme que lava a alma da mulher oprimida

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > esportes > ufc

Esportes - UFC

 

Domingo, 02 de Agosto de 2015

Música de Domingo: Nina Simone - do ativismo à superação - vídeo

Da Redação

Nina Simone: ativismo pelos Direitos Humanos
Nina Simone: ativismo pelos Direitos Humanos
A exuberante cantora americana Nina Simone é a nossa homenageada neste domingo. Nascida para sofrer, ela foi cooptada pelo destino para fugir à regra imposta aos negros nascidos antes dos anos 50 nos EUA: de virar operário ou trabalhador rural. Com dotes musicais manifestos nas igrejas da periferia, aprendeu música clássica, estudou piano e se destacou. Conheceu o mundo.

A vida de Nina Simone está sendo retratada em belo documentário produzido pela Netflix. Vale a pena assistir para descobrir uma personalidade que por razões políticas foi mantida no anonimato do show business até outro dia. De personalidade forte e uma voz inigualável, ela se destacava em vários estilos musicais como Blues, Jazz, gospel e pop.

Bartizada Eunice Kathleen Waymon, adotou o nome como forma de homenagear uma importante atriz francesa da época. Mas sua vida entraria em parafuso após o casamento com um policial. Violência física e humilhações marcaram os vários anos de casamento.

Mas foi no período mais conturbado da política americana, no século, XX, durante os anos 60, que Nina Simone ganhou fama mundial e despertou o ódio no governo dos Estados Unidos. Ativista, defendia o uso da força para enfrentar o racismo clandestino e o oficial. Militava contra o abandono dos pobres e famintos do Mississipi e pela causa das mulheres. Era uma importante aliada de líderes negros como Martin Luther King e Malcon X, entre outros. A partir daí sua carreira entraria de decadência e se viu obrigada a mudar para a África e Europa.

Ao morrer, em 2003, tinha sérias sequelas psicológicas do período mais crítico da sua vida e também em deocorrência de um câncer de mama.




 

Veja também:

>> Vídeo que havia sido censurado em MG reaparece nas redes sociais

>> Por que a polícia de SP tenta desqualificar atentado à bomba no Instituto Lula?

>> Andressa Urach lança livro em que fala sobre prostituição e EQM

>> Pesquisa mostra benefícios do chocolate amargo para o coração

>> Guarda amou dois presos na cadeia e os deixou fugir

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Música de Domingo: Nina Simone - do ativismo à superação - vídeo
 

Copyright 2020 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!