• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Terça-feira, 12 de Setembro de 2017

Xico Sá critica Zezé Di Camargo: "se o pau de arara fosse no seu c...."

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > economia

Economia

 

Quinta-feira, 01 de Junho de 2017

Empresários voltam a reclamar da carga de impostos, mas não deviam

Da Redação

Empresários voltam a carga contra "impostos aviltantes" cobrados pelo governo. Para chamar a atenção espalham uma campanha onde afirmam que até o dia de hoje, 1/06, o brasileiro trabalhou para pagar impostos. O que é uma meia verdade. A gente explica: uma coisa é o imposto sobre o salário - que é cobrado na fonte. Outra é o imposto agregado a produtos - que nos pune a todos - empresários e consumidores.

Mas esta queixa nos obriga a resgatar uma história recente e que revela que o empresário gosta mesmo é do lucro, independentemente da produtividade. Em 2009 Lula desonerou produtos da chamada linha branca (fogão, geladeira, freezers e etc) para aumentar o consumo e gerar emprego. Somado a isso abriu linha de crédito especial para o trabalhador ir às compras. O que ocorreu? Os empresários mantiveram os preços no mesmo patamar do período de alta tributação. Desta maneira ampliaram a margem de lucro.

É por estas e outras que ninguém leva a sério do choramingo de empresários que usam o argumento da tributação para justificar a sonegação - que atinge a todos nós.

Hoje (1º), o comércio varejista oferecerá produtos livres de impostos em estabelecimentos de 12 estados e do Distrito Federal.


Em Brasília, os postos de gasolina Jarjour de Taguatinga, da Asa Sul e Asa Norte oferecem 45 mil litros de gasolina a R$ 2,14 (com redução de quase 40%) e a concessionária Champion oferece um carro Peugeot 208 Active por R$ 37.319, 38 (menos 28%). Os descontos equivalem ao valor dos impostos embutidos nos produtos.

Edmar Vieira trabalha com serviços gerais e desde as 5h30 estava na fila do posto Jarjour na Asa Norte para abastecer. Por volta das 10h, ele conseguiu ser atendido. Para ele, essa data é interessante para saber quanto os brasileiros estão pagando de impostos.

"A gente sempre é lesado, tudo que vai comprar tem impostos. Além do proprietário do posto pagar o imposto dele, a gente ainda paga em cima do imposto dele. É um absurdo mesmo", disse.

A estudante Ana Paula Sanches também chegou no fim da madrugada para abastecer o tanque com o combustível sem tributos e também como forma de protesto.

"O Brasil é um país muito rico, tem riquezas minerais e naturais, tem pessoas muito boas, mas não é bem aproveitado. Se tivéssemos o retorno desse dinheiro a gente pagava feliz. Mas não tem", disse.

A CDL Jovem defende a simplificação dos impostos e tributos. "Diminuir os impostos beneficiaria não só os empresários que poderiam ofertar seus produtos por um custo menor, mas o próprio consumidor poderia consumir mais produtos e de melhor qualidade", disse Paganini.

 

Veja também:

>> Secretário de Dória é alvo de protestos após ameaçar agente de cultura

>> Falido, Rio fraudava compra de merenda em escolas, presídios e hospitais

>> Crise econômica alimenta a onda de suicídio no Brasil

>> Sobre o desaparecimento dos restos mortais de Garrincha

>> Onda de violência no Rio provoca mais mortos e ferido - vídeo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
Empresários voltam a reclamar da carga de impostos, mas não deviam
 

Copyright 2017 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!