• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 
Audiência na TV

Sábado, 15 de Dezembro de 2018

Castrinho é acusado de abuso sexual por Iris Bruzzi. Ele nega
Audiência na TV

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook

Conexão TV

Quarta-feira, 05 de Dezembro de 2018

Após massacre ao cão, Masterchef omite nome do Carrefour do programa

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > economia

Economia

 

Sábado, 11 de Fevereiro de 2017

A patética justificativa de Crivella para nomear o filho

Da Redação

O filho de Crivella e a necessidade do Rio
O filho de Crivella e a necessidade do Rio
O prefeito Marcelo Crivella, em início de gestão, tem cometido alguns tropeços. E eles podem ser divididos em duas categorias. previsíveis e imprevisíveis. Dentre os previsíveis, que é o que nos interessa de fato, está a nomeação do filho, homônimo, para a Secretaria da Casa Civil. Vetada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a indicação foi respondida de maneira lacônica pelo mandatário da cidade em e-mail:

"Eu dei o melhor que tinha para a Prefeitura. Confio na Justiça", afirma o prefeito Marcelo Crivella.

E a nota finaliza da seguinte maneira:

- O secretário da Casa Civil, Marcelo Hodge, tem formação superior, mestrado em Oxford e está apto para exercer a função.

O melhor que esperamos que Crivella tenha a oferecer à Prefeitura não é o filho - independentemente das qualidades que por ventura reúna. Mas sim a sua energia, honestidade e espírito público. Para ajudar a cidade a crescer socialmente, retirar menores das ruas dando a eles oportunidades, e especialmente melhorando o ensino e a Saúde pública não é necessário um filho, mas competência.

Leia também:
Teocracia Crivella - ele não pode errar


Estudar em Oxford, conforme fez questão de frisar o mandatário, definitivamente não é garantia dos valores acima.

Que ele coopere com seu pai, mesmo que informalmente, vá lá. Mas insistir na tecla de que o filho terá muito a oferecer é buscar um desgaste desnecessário em início de gestão e desmerecer os demais secretários - que não estudaram em Oxford e nem são filhos de Crivella.

O Rio precisa de gente que o respeita, além de investimentos sociais - em contraponto a uma gestão marcada por gastos em equipamentos de importância duvidosa. Cercar-se de gente comprometida e interessada neste resgate é o que deveria estar chamando a atenção do prefeito.

O elitismo demonstrado na nota é bola fora - ou um gol contra. Que ele respire fundo e pense melhor da próxima vez.

 

Veja também:

>> Vereador do MBL pediu proteção à GM para amigos invasores de reunião do PT

>> Por que os escândalos do governo Temer não chocam o país?

>> Toni Erdmann: obra do cinema austro-alemão é vítima da inveja americana

>> Clipe de Lady Gaga onde cachorro é atropelado gera revolta de fãs - vídeo

>> Por que as redes sociais viraram o vilão das emissoras de TV? Por Marcelo Migliaccio

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
A patética justificativa de Crivella para nomear o filho
 

Copyright 2018 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!