• Ouça a Rádio
  • Galeria de Fotos
  • Vídeos
  • Facebook
  • Twitter
Conexão Jornalismo é o primeiro site do país a merecer o selo verde.
Planvale

Busca

 

Conexão TV

Quinta-feira, 19 de Março de 2020

Trompetista invade Jornal Nacional e obriga Bonner a justificar - vídeo

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
VER +

Galeria de Fotos

 
 

 
 

Comunidade

home > colunas > cultura > novas mídias

Cultura - Novas Mídias

 

Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2020

E por que não introduzimos (ou nos introduzimos) em cápsulas dormitórios?

Cápsulas dormitórios japonesas
Cápsulas dormitórios japonesas

Da Redação

As cápsulas/dormitórios japonesas são equipamentos de solução fácil para conter um problema grave: a dificuldade que o trabalhador tem de viajar entre casa e emprego diariamente. Ele prefere ampliar a hora de descando a se submeter a viagem cansativa e cara.

Garotinho chegou a fazer modelo semelhante no seu governo e, me parece, custava R$1,99 o pernoite. O bravo jornalista Edgar Arruda, pelo Globo, fez matéria sobre elas e pernoitou.

Hoje, sabemos, o drama do sem-teto ganhou proporções inéditas. Passa da hora de reativar o projeto e até ampliá-lo. Li que 1/3 dos moradores de rua está nessas condições - sem dinheiro e/ou tempo para locomoção diária. É mais digno dormir numa cápsula a pernoitar em papelão no asfalto e sob a chuva.

Mas tenho enorme curiosidade de saber quem são os japoneses que habitam cápsulas e quanto custam o pernoite. Paulo Makita (fotógrafo amigo que mora no Japão) sabe? Já dormiu?

* O Globo faz matéria hoje (sexta-feira, 24) indicando as cápsulas como alternativa para o turista que vai às Olimpíadas de Tóquio.
#Ficadica

Proposta quer fazer dormitório no Rio para trabalhadores

Esta postagem foi feita em seguida ao texto acima colocado inicialmente no Facebook. Ele foi escrito pela professora Elika Takimoto:

Eu, Elika Takimoto, e Michelle Montenegro estamos tentando contribuir para redução da população que dorme nas ruas do Rio de Janeiro. Para tanto, dividimos essa população em 3 categorias que podemos ajudar:
1 - pessoas que vieram de outros estados com menos de 100 reais no bolso, não conseguiram emprego e não têm dinheiro para voltar,
2 - dependentes químicos que querem ajuda. Para tanto conseguimos uma parceria com uma clínica em Paraty. Fazemos o acompanhamento do tratamento,
3 - pessoas que trabalham muito longe e por uma questão de tempo e também de dinheiro acaba dormindo nas ruas,
O foco aqui hoje é o terceiro grupo.
Conseguimos um galpão em São Cristóvão que servia para estoque de auto peças de uma cluster que não faz mais estoque. Já conseguimos resolver a questão da segurança e da limpeza.
Atenderemos apenas quem TRABALHA e não consegue voltar todo dia para casa por conta dos custos das passagens e do tempo. Há quem leve 4 horas para ir e voltar. Há também aqueles que saem 2 horas da madrugada, por exemplo, e preferem dormir na rua.
Precisamos de dinheiro para beliches, roupas de cama e toalhas. Vamos comprar 100 beliches, ou seja, 200 pessoas terão onde dormir.
Para dormir neste local, será necessário comprovar vínculo empregatício. Vamos fazer uma carteirinha para cada um com o número da cama e o número de um armário que também compraremos. Eles vão poder usufruir do espaço das 19h às 8h.
Não nos propomos aqui a dar comida para essa categoria. Estamos pedindo ajuda para arrumar o espaço para eles. Cada um vai trazer o material de higiene e arcar com as despesas da alimentação.
Estamos tentando uma parceria com alguma lavanderia para lençois e toalhas.
Onde você entra? Ajudando a comprar as beliches e roupas de cama contribuindo com o que puder. Orçamos em 10 mil reais o valor de tudo. Vamos mostrar as notas e tudo pronto no final.
Se, por um acaso, sobrar dinheiro, ou seja, arrecadarmos mais do que estamos pedindo para a ajudar essas pessoas do grupo 3, vamos usar essa "sobra" para as pessoas do grupo 1.
Temos na fila hoje 18 pessoas querendo voltar para casa. Há custos de passagens. Sempre fazemos vaquinha e pedimos arrecadação na nossa página
http://devoltaaolar.com.br/
https://www.facebook.com/devoltaaolarprojetosocial/
Instagram: @devoltaaolarprojetosocial.
Se você ainda não conhece, vai lá ver as pessoas que já conseguiram retornar para casa.
Segue a conta, caso queira contribuir.
A conta está ainda de uma pessoa física porque somente há 5 meses iniciamos esse projeto. Já temos uma ONG e, em breve, teremos CNPJ.
A conta é da mãe da Michelle que é a pessoa responsável por tudo isso e que conheci ajudando o seu Carlos, um artesão fantástico em situação de rua.
Pedi socorro nas redes para ajudar Seu Carlos, Michelle apareceu, se sensibilizou pela causa e não para mais de querer ajudar.
Itaú
Ag 4095
Conta 08244-4
Maria Julia Montenegro
CPF 182.898.437-04
Bora fazer parte dessa corrente do bem com a gente?"

 

Veja também:

>> Ex-CEO do Grammy diz que premiação é um clube de "meninos brancos"

>> Sem determinar mandante, MP quer assassinos de Marielle no júri

>> Fux ignora Congresso e juiz de Garantias sobe o telhado

>> Dilma: Guedes completa o golpe da Lava Jato na engenharia nacional

>> Governador do DF veta homenagem a Marielle Franco em praça

 
  • Enviar para um amigo
  •  
  • Compartilhar no Twitter
  •  
  • Compartilhar no Facebook
  •  
  •  
  •  comentário(s)
  •  
 
E por que não introduzimos (ou nos introduzimos) em cápsulas dormitórios?
 

Copyright 2020 - WebRadio Programa Conexão - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Go2web

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!